domingo, 2 de maio de 2010

Água na Cintura de Asteróides

Já não era novidade. Vários estudos indicavam que o asteróide Ceres (agora também planeta-anão) possuía algum gelo de água. A descoberta dos Cometas da Cintura Principal (em inglês: Main Belt Comets) em 2006, implicava que estes seriam compostos por uma grande quantidade de água (em princípio, claro). Desde então a busca de mais destes cometas tem sido intensa. Uma das famílias dinâmicas da asteróides (que são muitas e com nomes muito exóticos), a família Themis, era suspeita de ser a zona onde existiriam mais destes novos cometas. Dois artigos publicados agora, simultaneamente, na revista Nature, um por Humberto Campins e oito colaboradores, e outro por Andrew Rivkin e Joshua Emery, mostram que o asteróide 24 Themis possui gelo de água e compostos orgânicos na sua superfície, sem se mostrar em actividade cometária, formando cauda e cabeleira, como o fazem normalmente os cometas a essas distâncias do Sol. A possibilidade de parte, ou toda, da água da Terra ter vindo do Espaço através dos impactos de cometas e asteróides ganha nova força, não esquecendo também o possível papel catalisador de vida que os compostos orgânicos trazidos por estes corpos pode ter tido. O estudo dos pequenos corpos do Sistema Solar continua a ser das áreas mais activas da Astronomia oferecendo-nos constantemente resultados excitantes.

1 comentário:

André Leal disse...

Ola boa noite, já a alguns meses que venho a seguir este blog e trago comigo a esperança de ver novos post tal como este que publicou recentemente. Sou um amante da astronomia, e quando enconteri este blog resolvi adiciona lo aos meus favoritos pois abordava uma questão que muito me interessa o estudo dos objectos que se encontram nos confins do sistema solar.
Vou estar atento a novos posts se possivel.