sábado, 23 de Julho de 2011

Mais uma lua de Plutão

E aí está, uma vez mais Plutão a dar que falar. Utilizando o Telescópio Espacial Hubble, uma equipa liderada por Mark Showalter, do SETI, descobriu mais uma pequena lua em Plutão, elevando assim o número de luas conhecias para 4. A maior, Caronte, com cerca de 1200 km de diâmetro, foi descoberta em 1978 por James Christy, do Observatório Naval dos Estados Unidos. Em 2005, utilizando o Hubble, Nix e Hydra são descobertas por Hal Weaver e colaboradores, devendo os seus diâmetros situarem-se entre os 50 e 150 km. E agora, de novo utilizando o Hubble, é descoberta a provisoriamente designada S/2011 (134340) 1, ou S/2011 P 1, com um diâmetro estimado de 15-30 km. Note-se que 134340 é o número oficial da União Astronómica Internacional para o pequeno corpo Plutão que pode ter sido despromovido do estatuto de planeta mas parece possuir um forte marketing.

segunda-feira, 7 de Junho de 2010

Queda de cometa pode explicar características da atmosfera de Neptuno.

Há 5 anos E. Lellouch, R. Moreno e G. Paubert avançaram esta ideia em trabalho publicado na revista Astronomy & Astrophysics. Os elevados valores de Monóxido de Carbono (CO) que detectavam em Neptuno, utilizando o rádio-telescópio de 30 m IRAM, poderiam ser explicados desta forma.

A ideia voltou a ganhar força com as novas medições realizadas pelo telescópio espacial Herschel apresentadas e discutidas por P. Hartogh numa conferência da Sociedade Astronómica Americana no passado dia 24 de Maio, segundo noticiado na revista Nature.

A interpretação não é a única possível, claro, mas é sem dúvida a mais interessante.

domingo, 2 de Maio de 2010

Água na Cintura de Asteróides

Já não era novidade. Vários estudos indicavam que o asteróide Ceres (agora também planeta-anão) possuía algum gelo de água. A descoberta dos Cometas da Cintura Principal (em inglês: Main Belt Comets) em 2006, implicava que estes seriam compostos por uma grande quantidade de água (em princípio, claro). Desde então a busca de mais destes cometas tem sido intensa. Uma das famílias dinâmicas da asteróides (que são muitas e com nomes muito exóticos), a família Themis, era suspeita de ser a zona onde existiriam mais destes novos cometas. Dois artigos publicados agora, simultaneamente, na revista Nature, um por Humberto Campins e oito colaboradores, e outro por Andrew Rivkin e Joshua Emery, mostram que o asteróide 24 Themis possui gelo de água e compostos orgânicos na sua superfície, sem se mostrar em actividade cometária, formando cauda e cabeleira, como o fazem normalmente os cometas a essas distâncias do Sol. A possibilidade de parte, ou toda, da água da Terra ter vindo do Espaço através dos impactos de cometas e asteróides ganha nova força, não esquecendo também o possível papel catalisador de vida que os compostos orgânicos trazidos por estes corpos pode ter tido. O estudo dos pequenos corpos do Sistema Solar continua a ser das áreas mais activas da Astronomia oferecendo-nos constantemente resultados excitantes.

quarta-feira, 25 de Novembro de 2009

"Os Dias do Futuro" na Antena 1

Irá para o ar neste Sábado 28, às 14:08, na Antena 1, o programa "Os Dias do Futuro" de Edgar Canelas que desta vez tem como tema: os pequenos corpos do Sistema Solar. Tiveram a gentileza de me convidar. Não sendo o programa em directo ao referirem o meu blog moribundo senti-me na obrigação de o reanimar. Os programas anteriores podem ser descarregados da página do próprio programa na Antena 1.

quarta-feira, 24 de Junho de 2009

Bolsa de Integração na Investigação em Astronomia

Está aberto concurso até dia 5 de Julho de 2009 para uma Bolsa de Integração na Investigação (BII) com o tema: "Estudo do cometa Holmes" sob a minha orientação. A bolsa é do Centro de Física Computacional da Universidade de Coimbra e destina-se a alunos do 1 ciclo do Ensino Superior. Existem ainda outros 11 projectos no mesmo centro. Concorram depressa!
Anúncio em: http://tinyurl.com/kp3xuo.

quinta-feira, 9 de Outubro de 2008

"Webstreaming" da XL Conferência da Divisão para as Ciências Planetárias

O quadragésimo encontro anual da Divisão para as Ciências Planetárias / Sociedade Astronómica Americana (do inglês: DPS/AAS) vai estar no ar, pela primeira vez, em "webstreaming" [para obter os "links" clique aqui].

A conferência decorrerá em Ithaca, NY, EUA, de sábado dia 11 de Outubro a quarta-feira, dia 15. O programa detalhado pode ser obtido clicando aqui.

As comunicações regulares são extremamente técnicas e breves, mas recomendo dar uma olhada pois frequentemente são anunciados resultados / descobertas um ano antes de estarem publicados. Na segunda-feira, dia 12, pelas 14:00 (hora de Nova York), decorrerão as palestras dos galardoados com os prémios Kuiper, Masursky e Sagan. A ver.

sexta-feira, 19 de Setembro de 2008

Haumea: o planeta-anão e plutóide 2003EL61 foi baptizado.

A União Astronómica Internacional finalmente baptizou o Objecto Trans-Neptuniano (136108) 2003EL6. "Haumea", deusa Hawaiiana dos partos e da fertilidade. Haumea é também, em princípio, um planeta-anão, por ter suficiente massa para possuir uma forma de equilíbrio gravitacional (no seu caso bastante achatada), também poderá ser classificado de plutóide por ter um período de translação superior a 200 anos. Como se pode ver, tudo algo complicado.

Mais complicada ainda é a história da sua descoberta. Pablo Santos-Sanz, José Luis Ortiz e Francisco Aceituno, do Instituto de Astrofísica da Andaluzia (Granada, Espanha) anunciaram a sua descoberta a 27 de Julho de 2005. Na altura tudo indicava ser um pouco maior que Plutão o que o poderia classificar como o décimo planeta. Mas pouco depois o bem mais famoso Mike Brown, do Caltech (Pasadena, EUA), anuncia que ele e sua equipa já tinham identificado esse objecto em 2003, não o tornando público, e acusa a equipa espanhola de lhe ter roubado a descoberta. A história assume os contornos de um romance de espionagem e a comunidade astronómica internacional não consegue encontrar forma de lidar com a questão. Nasce o debate sobre a justiça de manter uma descoberta secreta durante tanto tempo e a justiça de correr para anunciar descobertas antes dos outros. As opiniões parecem dividir-se por igual.